não era mais eu, agora é

Não era nada a mais que se esperar que minha vida não fosse um conto de fadas. Daqueles assistimos quando crianças e quando crescemos insistimos que isso realmente um dia ia acontecer de verdade. Que depois de um dia de restrição calórica eu fosse perder aquilo que conquistei em anos. Mas não é fácil quando o seu parâmetro muda a cada minuto. Quando somos bombardeadas com nossos defeitos e eu digo nós, mulheres em geral. O sexo frágil que não tem nada de fraqueza, do que ouvir a cada dia quando engordamos e que não temos o cabelo perfeito e nem a roupa que entrou na moda e nós que isso não nós importava até uns anos atrás mas que tem sido hoje um pensamento recorrente. A cada dia o espelho tem sido nosso inimigo, tem sido nosso medo. Olhar no espelho às vezes só para encarar o rosto, cansado de não saber onde mais para olhar, porque mesmo aquele sorriso que você achava lindo, não é beleza para ninguém. Encontramos sempre as mesmas pessoas, os mesmos círculos, círculos esses viciados em te dizer que você precisa acordar e mudar porque senão ninguém vai fazer nada para você. Eu quero não me sentir vítima da vida e nem da sociedade. Mas as vezes fica difícil simplesmente ignorar os olhares reprovadores das pessoas que acham que sabe tudo sobre a nossa vida, as brincadeiras, os comentários “construtivos”. Ontem tínhamos um espelho que era nosso aliado que mandava nada além de nós mesmas. Hoje temos um espelho distorcido, que muda de acordo com a tendência do momento. Eu quero de volta meu espelho onde eu conseguia enxergar a verdade e que eu mesma podia dizer qual era o problema, não simplesmente jogada na próxima dieta e nem na frente de uma academia ou mais uma química nova para o meu cabelo (que até outro dia era umas das coisas que eu mais gostava em mim). Estou jogando o outro espelho fora, porque se eu mesma não souber quando tá ruim ou tá bom não sei para que serve ser eu . 

Projeto de fotografia quem sou eu

Imagem

 

Resolvi fazer esse projeto ” quem sou eu” pois sempre me pego pensando o quanto esquecemos de nos valorizar até pelo que você não gosta tanto. Mas lembrar que todos nós temos nossas falhas sejam elas físicas ou intelectuais. E hoje me fotografei sem maquiagem, sem chapinha. Somente eu. Não sou contra a pessoa se arrumar e eu até admiro aquelas pessoas que estão impecáveis 24 horas por dia. Mas eu não estou disponível sempre para estar assim. As vezes eu não quero mesmo colocar maquiagem, só quero cara lavada. E quero pelo direito de ser assim, sem culpa. Porque somos mais que nossas aparências. Então quero propor a você para se fotografar o que jeito que você é. Se não quiser mas algo que represente. Eu amei o “exercício” de fazer isso. 

 

E você quer fazer também? Mostra para mim, deixe o link nos comentários!

Beijos 🙂