Para Bia; Entendi

rtrrtr

A Bia é uma das minhas melhores amigas, aquela da resposta de quando te perguntam quem é a sua melhor amiga, no caso tenho duas ela e a Alice, mas hoje vou falar da Bia. Ela está merecendo, começou  há uns 15 dias atrás um novo ciclo, um belo ciclo aliás que marca a trajetória de praticamente toda mulher que já que quando completamos os tal 25 anos você não é vinte e poucos e nem é quase trinta, você é dos 25. Que fase linda e que bom está perto de você nesse momento, talvez não geograficamente mas tu sabe que está aqui no coração.

Eu pensei tenho que escrever esse texto porque é a forma que eu aprendi de verbalizar o que aprendo.E a Bia apareceu aqui não só porque foi o aniversário dela mas é que finalmente aprendi o que ela tanto me falava quando ainda morávamos na mesma cidade. Bia eu finalmente entendi.

Esses dias peguei meu caderninho de frases que inclusive você me ensinou a ter li uma frase tua que eu escrevi que era sobre estar no lugar que deveríamos estar, ver o que queremos, colocar em prática os sonhos e de não fingir o que não somos. Se sentir bem gostando do que se gosta. Bem como isso faz sentido agora, depois de cabeçadas na vida de tanto teimar com você e com a minha mãe, você sabe que vocês duas compartilham da mesma opinião né, que temos que ser aquilo mesmo e não se preocupar tanto com o que os outros estão pensando. Faz todo sentido agora, depois de incansavelmente tentar ser algo que não tinha muito a ver comigo.

Você me ajudou a perceber, se sinta responsável da maneira mais positiva e linda que possa existir, você me ajudou a entender, mesmo com todo o esse tempo que passou, o seu exemplo, as nossas conversas guardadas, nas minhas lembranças os nossos telefonemas todos juntos me fizeram te dizer agora: Eu entendi.

Obrigada, desejo a você nesse ciclo mais sonhos, mais vontade, mais realização, mais oportunidade, mais cultura, mais filmes, mais livros, mais tudo. Mais família, mais cachorros, mais passeios , mais alegria e o mais importante mais Deus.

Obrigada, por tudo que fez e faz por mim, pela torcida, pelos puxões de orelha, pelas conversas, pela cumplicidade, por nunca desistir de mim, por esses pelo menos dezoito anos de amizade, que claro conto até mesmo a parte que fomos colegas na primeira série.

Você é uma pessoa linda Bia, por dentro e por fora, tenho orgulho de ter tua amizade! E vê se larga essa Brasília e vem para Patos me fazer uma visita.

Esse texto ficou para lá do sentimental e vamos parando por aqui.Para você leitor que eu te digo, se você tem alguém a quem confiar, cuide!

Loucos e Santos

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. 
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. 
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. 
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. 
Deles não quero resposta, quero meu avesso. 
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim. 
Para isso, só sendo louco. 
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças. 
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. 
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. 
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. 
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. 
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. 
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. 
Não quero amigos adultos nem chatos. 
Quero-os metade infância e outra metade velhice! 
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. 
Tenho amigos para saber quem eu sou. 
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que normalidade é uma ilusão imbecil e estéril.